segunda-feira, 31 de outubro de 2011


Tem sido dias vazios, bastante doloridos, sinto uma angustia em mim, cada fez maior, sinto-me perdido em meio a tudo, tenho vários amigos, conheço varias pessoas, freqüento lugares alegres, mas nada parece me acolher mais, sinto-me perdido no meio de tanta felicidade alheia quando não posso encontrar a minha, quando o meu vazio por dentro, parece triste e piedoso em meio de tantos corações cheios de vida ao meu redor, o meu é apenas dor e saudade, é medo, uma amiga hoje me disse que a tempos na nossa vida que olhamos para todos os lados, e simplesmente não sabemos aonde ir, e a única solução é ficar parado, é assim que me sinto, com mil esperanças ao sair dessa cadeira, sei que o mundo tem coisas maravilhosas a me oferecer, mas não consigo me levantar e correr atrás de nenhuma delas, então eu paro, como uma arvore em uma esquina, esperando algum resto de comida para adubá-la, esperando a chuva para regá-la, em espera de um simples lamurio ou empurrão de Deus para sobreviver, não esperava que isso viesse a doer tanto, e ser tão agonizante, sinto-me diferente, não sou mais o mesmo, nem sei mais quem sou, não conheço mais a mim, ando assustado, com medo, de nada disso venha a passar, as pessoas sempre me dizem, isso é só fase, você ficar bem, mas elas esquecem também, que existem pessoas que acabam sozinhos, que morrem tristes, com o coração cheio de arrependimentos, e sem tempo de concertar erros passados, e eles também não sabem que essas pessoas estão a sofrer tanto consigo mesmas, que tem medo de que sua negatividade, contagie pessoas que tem que ser felizes, estou com medo de acabar assim, de cada dia me enterrar mais nessa solidão, e me afastar mais do que tem de bom pra mim, com medo que o meu mau, machuque a todos, que essa minha angustia seja passada no pesar tristonho de meus olhos, preciso de uma saída, preciso de ajuda, preciso encontrar um caminho, preciso parar de mergulhar em poços dentro do meu poço, preciso aprender a nadar, para não me afogar nas águas dessa solidão, preciso eu mesmo me erguer dentro desse foco sem fim, ao invés de simplesmente esperar por uma mão que me arranque daqui. 

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Por onde devo ir?

         
Perdido, resumi como estou me sentindo nesses dias, sinto falta de algo que me prenda, que me contenha, que me controle, me sinto solitário, inútil, é como se eu não agradasse a mim mesmo, fico buscando o que estou fazendo de errado, quando nem sei se estou realmente errado, peso cada atitude minha, me comparo com as outras pessoas em cada pequeno detalhe, como se todos a minha volta fossem melhores do que eu, me sinto como mais um qualquer no mundo, que não faz mais nenhuma diferença pra ninguém,  sinto uma tristeza vindo de dentro de mim, e não sei o que esta causando tal dor, só a sinto queimar cada dia mais, sinto angustia, falta, solidão, quando na verdade nem mesmo sei o que estou buscando, não tenho certeza do que realmente quero pra mim, nem de onde quero chegar, nem se tenho mais forças de caminhar, estou apenas aqui sentado, vendo a vida passar, sem fazer absolutamente nada, fico apenas sentado esperando que alguma nova esperança caia do céu como passe de mágica, pra onde ir? O que fazer? Onde buscar tais saídas? Pra onde correr? Que estradas percorrer?  Ate que ponto eu ficarei a beira da estrada esperando uma alma caridosa que me carrega em sua viajem? Porque não me levantar e continuar caminhando nessa estrada louca e torcer para encontrar uma saída? Não sei, simplesmente não sei porque continuo aqui, não sei porque continuo assim, nessa rotina sem medo de arriscar, acorda, trabalhar, ver um filme, e voltar a dormir, fico aqui vendo todas essa cenas, de vidas que nem existiram realmente, essas felicidades que sempre aparecem do nada no fim de cada filme, e fico a imaginar se pra mim também será assim, se no fim de tudo eu encontrarei o que esta esperando por mim, mas esqueço de que nos filmes todas aquelas situações, são apenas sonhos da cabeça de alguém, que trilhou aquilo em sua cabeça pra que no fim desse tudo certo, então eu penso que seria assim, que eu devia ser, trilhar todos os meus sonhos, todos os meus caminhos na minha mente, e ir atrás disso tudo, esperando que de um jeito ou de outro eu chegasse ao fim co gloria, mas nesse momento me falta animo, vontade, coragem de correr atrás de tais coisas, e eu não sei ate quando vou ficar aqui sentado esperando na beira da estrada, pode ser que o fim da minha linha seja aqui, pode ser que eu encontre novos caminhos, vários caminhos, um único caminho, pode ser que eu entre em um beco sem saída, pode acontecer de carros me atropelarem no meio da pista, ou pode ser que alguém me leve em seu caminho para que eu encontre o meu, mas nesse momento, estou sem respostas, e sem perguntas, não consigo dizer nem pensar em nada que me tire daqui, então apenas me resta esperar.

segunda-feira, 13 de junho de 2011


É já faz um tempo que não escrevo nada, que não me exponho que não revelo o que esta a acontecer no lado silencioso da minha vida, aquele que eu guardo só pra min, mas as vezes canso de deixá-los presos e simplesmente os jogo em palavras, neste momento me sinto estranho, como nunca me senti, ando quieto, calado, confuso, pensante, ando me sentindo sozinho, sempre alvejei, e sempre tive pessoas as meu redor, sempre tive o contado e o pensamento humano a minha volta, tive muitos amigos e muitas amantes, mas nesse momento me sinto apenas passando por eles, como em situações momentâneas para eles, em que tive meus momentos, não momentos de gloria, mas momentos vividos ao lado dessas pessoas, vejo momentos passados e vividos, mas que me estão no canto nostálgico em minha mente, vejo todos seguindo em frente, ficando bem deixando o passado pra trás, dando novos passos, vivendo novas vidas, e me sinto terrivelmente feliz, por saber que todos estão indo bem, e me sinto terrivelmente abalado ao mesmo tempo, por temer não estar tão presente nesses momentos de suas vidas, sim me sinto carente, sim me sinto um pouco só, mas porque me prendo a esse passado, porque simplesmente não aprendo com eles a seguir em frente? Porque sinto tanta falta de tantas coisas? E porque logo agora? Sim, estou bem, me sinto bem, já vive e já passei por tantas coisas, coisa loucas, coisas boas, coisas ruins, momentos simples, sinto que cresci e amadureci muito com tudo que se passou a minha volta, com tudo que eu passei, me sinto melhor, mais tranqüilo, sinto-me melhor comigo mesmo, mas também sinto um certo vazio nesse crescimento, sinto que deveria ter parado de avançar em algumas fases da minha vida, simplesmente ter parado ali e ficado La, quando tudo esta indo bem, mas não o fiz, continuei seguindo, e passando por tudo, jogando coisas fora, buscando novas coisas, mas a que ponto eu cheguei? Onde eu quis chegar? Aonde cheguei? Pra onde vou? Onde eu vou chegar? E quando vou parar? Busquei coisas grandes, momentos intensos, viver loucamente, em buscar de ser feliz, já vive loucuras, fiz loucuras, vive grandes coisas, mas nesse momento são as menores, as pequenas coisas, que sinto falta, pequenos momentos, pequenas pessoas, pequenos gestos, simples palavras, sinto falta de um elo, de estar unido as pessoas, sei que ainda tenho ótimos amigos, e ainda vivo bons momentos com ele, mas me sinto como uma pequena peça de um quebra-cabeças alguma parte de um grande céu, em que a imagem estará incompleta se não estiver ali, mas que também é igual a varias outras, que esta La apenas como um complemento para a imagem principal e central do jogo, quero me sentir parte do centro novamente, esta ali ao lado de todas as peças importantes, formando uma linda e grande imagem, pode parecer egoísmo de minha parte, mas não vivemos para estarmos felizes? Para que possamos nos sentir bem? Então é apenas isso que eu busco, muitos dizem – você já teve o que queria e deixou passar, isso é uma fase sua, deixe de moer no passado e siga em frente. Porque me negam o que eu tanto desejo? Porque não posso voltar, e viver tudo novamente? Voltar  cometer os mesmo erros, sentir as mesmas alegrias, eu não quero tudo como foi, mas quero reviver pequenas partes novamente, estou assustado, com medo de seguir em frente, sinto medo de não chegar a lugar nenhum, meu maior medo sempre foi acabar sozinho, e ele tem aumentado ultimamente, sim tenho a mente paranóica, pensamentos sem nexo, palavras e sentimentos maus explicados, mau entendidos, mas que se não existissem, não teriam me trazido ate aqui, tudo isso pode ser apenas, uma loucura, um flash de solidão, um sentimento que ira embora amanha, meu futuro e meu presente, podem vir e podem me trazer algo novo e maravilhoso, mas não deixarei meu passado pra traz.

“Tristeza nunca mais vale o meu pranto, que esse canto em solidão, nessa espera o mundo gira em minha historia. Casa Pré-Fabricada – Marcelo camelo”

Nota: primeiro texto sem edição critica e correções de Marina Dias, então erros de palavras, gramática, idéias e palavras sem nexo, estão sujeitas e fazerem volume nesse texto.

segunda-feira, 2 de maio de 2011


 Tenho esse texto guardado a meses, nem sei se é uma boa hora publica-lo, nem se faz mais sentido coloca-lo aqui, mas senti vontade de me expor novamento então que se dane.




Dizem que a buscar pelo amor verdadeiro nos leva a caminhos errados, e a estradas sem saídas, é uma busca vã, que não te levar a lugar nenhum, e que quando você menos espera, ele bate na sua porta, como um vulcão, simplesmente explode e abala totalmente o seu mundo, e é ai que você muda totalmente, todo o seu ser entra em colapso, a cada dia você se perde mais naquele sentimento, eu senti medo de mim mesmo, do que sentia, do que aquilo provocava em mim, todos os meus medos, angústias, sentimentos e desejos voltados a uma pessoas apenas, porque comigo? Eu realmente nunca fui um exemplo de homem com as mulheres, nunca as fiz totalmente felizes, e no fim de tudo sempre escoriam lagrimas devido as minhas atitudes, sempre amei a mim acima de tudo sem pensar em nenhuma delas, sem ligar pra como se sentiriam, só pensando em agradar a mim mesmo, mas então um dia quando eu menos esperava, quando todo meu mundo estava em calma, quando mais estive em calma, simplesmente aconteceu.
    Tudo começou como mais um de meus casos, - bonita, simpática, belo corpo, interessante, quero essa pra min. Então os jogos começaram, flertes, diretas, e piadas rolavam no ar, não houveram muitas dificuldades admito, mas foi tudo como esperada, o primeiro momento, o primeiro beijo sempre foram normais demais pra mim, mas tinha algo em você que me agradou mais que o normal, não sabia o que era, achei que era apenas um interesse  a mais, então tudo mudou, me apeguei, gostei, comecei a sentir, então eu era emperrado e novamente puxado pra você, era como um  jogo, era como se você estivesse a brincar comigo, a jogar com a minha cara, a fazer comigo aquilo que sempre fiz com as demais, e eu gostava daquilo, gostava de ser desprezado, de correr atrás de você, mas a cada dia gostava mais do fim de cada joguinho quando tinha você comigo, e cada vez mais os jogos foram aumentando, e eu cada dia a te desejar muito mais, com medo do estava se passando comigo, eu já havia sentido algo assim antes, - porque dessa vez é diferente? Merda acabei de sair de um relacionamento de anos, porque em tão pouco tempo ela me abala tanto?. Fugi, tive medo, afastei aquilo de mim, mas no fundo eu sabia que tudo era uma tentativa de virar aquele jogo, de saber e sentir se realmente ela também me desejava, e como esperei, as coisas mudaram, tudo ficava estranho na presença dela, ficávamos parados nos olhando, esperando que algum dos dois desse o primeiro passo, então quando os dois estávamos decididos a dar esse passo, novamente aconteceu, parecia apenas mais uma vez, mas um momento de nós dois, mas tinha sido diferente, avia sentimentos dessa vez, sem mais joguinhos, sem mais simples momentos, sobrara emoção, resolvemos tentar nos unir, e deixar acontecer, e assim foi feito. A cada dia tudo se tornava mais intenso, a paz, o desejo, o êxtase de estarmos juntos era cada vez maior, e dessa vez fui sem medo, via em você e ouvia de suas palavras que aquilo não acontecia so em mim, mas em nela também estava sendo diferente, ela avia mudado, estava comigo, queria estar comigo, gostava de estar comigo, se sentia bem comigo, e eu me sentia cada dia melhor com ela, então tudo começou a se tornar serio, e parecia perfeitamente bem encaixado, mas eis o fato que não tínhamos percebido, éramos livres e parecidos demais, relacionamentos devem sempre ser baseados em confiança, e deve-se sempre permitir que a outra pessoas também tenha uma vida, e assim construímos o nosso, com liberdade, mas com amor, pelo menos acho que era amor, de minha parte tenho certeza que sim, mas isso é outro assunto, ao nos dar liberdade, ao não querer prende-la para não afastá-la, acabei perdendo-a aos poucos, não mais via-a com a freqüência, não mais conversávamos por horas, mas ainda havia amor, em mim, o desejo de tela a todo momento, mas esse sentimento não mais parecia vingar nela, tentei consertar, tentei convencer mas ela não queria que fosse diferente, estávamos acostumados a sermos assim, não estávamos separados, mas também não praticávamos nossa “união” achei melhor fugir novamente, parar pra pensar, por a cabeça no lugar, me afastar, dar um tempo parar mim, e deixá-la ter o tempo dela, tinha esperanças que ela sentisse minha falta e voltássemos a ter o nosso elo novamente, no começo foi tudo muito fácil parar mim, mas a partir daqui eu apenas sei o que houve dentro de mim, me senti tranqüilo por um tempo, mas a falta voltou a me consumir, queria vela, ligar, conversar, sentir, ou apenas ouvir sua voz, não era preciso me dizer nada, só precisava ouvi-la, mas então ela se afastou, evitou-me, me deixou, e assim me acostumei, continuei a viver, a buscar, achei que era tudo momentâneo, era apenas a falta de ter alguém, mas sempre que a avistava mesmo ao longe tudo me abalava, apenas em ouvir seu nome, me dava arrepios, então como sempre fui bom em fazer busquei saída em novos amores, em novas coisas, mas dessa vez esta tudo diferente, nada é mais a mesma coisa, nada me satisfaz, nada mais me agrada, depois de você as outras foram as outras e só, aquietei-me e tentei afastar isso de mim, e tudo estava indo muito bem, ate hoje a noite, quando simplesmente te vi novamente, simplesmente me deu medo em olhá-la tive medo de você no que você despertaria em mim, tive medo de me apaixonar novamente se olhasse em seus olhos, então não olhei, olhei-te poucas vezes, em breves olhares, vi o seu rosto rapidamente, mas a cada palavra sua que ouvia, tinha vontade de te abraçar, de sentir o teu calor, a cada vez que te olhava brevemente, tinha vontade de fixar minha visão só em você e não enxergar mais nada a minha volta, cada segundo ali era como um tormento, uma agonia, eu queria fugir dali, correr, gritar não olhar pra trás, não te ver, quero te ligar, quero te escrever, quero te tocar, quero ver você sorrir, quero ver seus olhos dentro dos meus outras vez, mas eu só fujo, porque sei que nada adianta mais, sei que pra você passou, simplesmente acabou, foi bom enquanto durou, um dia você me disse que te perguntaram como você se via no futuro, e você me disse que respondeu que apenas se via comigo, deitado aqui em minha cama, escrevendo esse monte de besteiras que sei que você nem vai ler, e nem se interessa, e que não fazem a mínima diferença pra você, lembrei de todos os momentos bons que passamos, em tudo que dissemos, em um pequeno tempo que passamos juntos, mas que pra mim foi bom e durou tempo bastante pra se tornar inesquecível, pequenos dias, alguns meses, e idas e voltas, de querer e não querer, mas que eu sei que vão mexer comigo sempre que pensar em você, dizem que não se ama alguém em tão pouco tempo, e dizem também que é idiota falar de amor, então esse é o meu texto mais idiota, brega e ridículo, mas também o mais sincero, e se isso não foi amor, então foi o mais próximo de tal sentimento que consegui viver, sei que vou superar, ou pelo menos espero, sei que não vais mais lembrar de mim, espero que fique bem sem mim, que encontre a sua paz e o seu lugar, que encontre alguém que te faça sentir o que você me fez sentir, e mesmo que eu mude tudo que estou sentindo agora, sempre me lembrarei de você dizendo – ta acontecendo um sentimento tão louco em mim. E essas são minhas palavras ao descrever nós dois, “A coisa mais louca, intensa, verdadeira, sincera, complicada, maravilhosa e talvez a mais marcante, pequena e real historia de amor que vivi”.

                “Deixo a porta aberta se quiser voltar, mas saiba que eu também consigo viver só”

segunda-feira, 28 de março de 2011

A Espera.
            Nesses dias ando me sentindo muito sozinho, apesar dos bons amigos que tenho e que sei que nunca me deixarão só, sinto falta de alguém pra me aquecer, alguém em que posso sentir que esta comigo, paixão é bom, ótimo, nos fortalece, levanta nosso ego, disso eu sei, já tive muitas, já vivi dias em busca de cada vez mais paixões, mais casos, momentos, pessoas que eu pudesse ter para mostrar a mim mesmo que poderia ter, uma, dez ou mil, mas agora nesse momento, não busco mais paixões, emoções momentâneas, gostaria te ter um conforto para meu coração, estou em busca de algo que me encante novamente, que me tire o fôlego, que faça meu corpo tremer, que me de calafrios, sinto falta de ser amado, cansei de usar e ser usado.
            Estou frágil, fraco, vulnerável, me sinto sozinho de amor, sinto que tudo que fiz, fez com que eu e todos a minha volta me vicem como uma pessoa apenas de momentos, aquele que não se apega, não ama, não constrói nada, alem de seu próprio ego, não quero mais ser visto com esses olhos, não quero mais ser frio, viver em frieza, quero um colo quente em que eu possa me aquecer, um doce abraço que faça tudo valer a pena, quero me sentir amado, quero amar, quero ariscar. Já vivi um pouco de tudo nessa vida, e todas a peças de minhas experiências dão um enorme quebra cabeça, apesar de tudo isso, experimentei de sentimentos verdadeiros poucas vezes, mas esses momentos, não se comparam as centenas de outros passageiros que passei, a intensidade de tais sentimentos foram surpreendentes, viver para alguém, imaginar o bem estar de uma pessoa acima do seu, sentir que alguém alem de mim mesmo, quer me ver sorrir, quer estar comigo a todo momento, sentir que alguém esta feliz simplesmente por estar ali ao meu lado, e se encontrar totalmente naquele momento simples mas verdadeiro, isso que eu espero viver, é isso que eu quero viver novamente, quero lindos olhos verdes me olhando novamente, com um simples sorriso no rosto, simples mas verdadeiro e transparente, um pequeno sorriso , expressando uma imensa felicidade ao simples me ver. Ao escrever esse texto, senti certo ar de egoísmo em minhas palavras, mas porque não querer amor? Quero sair desse mar de casos e acasos, e quero acordar ao lado de alguém novamente, nesse momento desejo a mim, todo o Amor que houver nessa vida, que a sorte de um amor tranqüilo, quero parar e descansar,  quero me acomodar, me confortar, me aconchegar, eu quero amar.

                        Eu tive um amor, mas foi a dor, que me ensinou a ser quem sou” {a falta – Andreia Martins}

sexta-feira, 18 de março de 2011


Sem lutar.
                Cansado estou, fadigado, acomodado, e sem armas para enfrentar mais uma guerra, quero vencer, mas de tanto lutar por uma vitoria que nunca se mostra ao meu alcance, sinto-me acomodado em apenas andar nessa corrida, não avisto mais pódio algum, não mais sonho em estourar champanhes de alegria, estou aqui, não faço mais diferença, não sinto nada mudar, e assim a vida acostumou-se a ser, já venci varias batalhas contra o mundo, contra tudo e contra todos, sinto como se já tivesse vencido ate a mim mesmo, mas porque essa guerra nunca tem fim? Porque sempre tenho que enfrentar novos inimigos, sempre tenho que sentir as facas rasgando minha pele, para que eu possa me sentir melhor. Sempre precisei matar novos inimigos, enfrentar novas batalhas, para obter meus momentos de gloria, mas cansei dessas pequenas glorias, no dia seguinte sempre enfrento mais uma batalha, me sinto derrotado, preciso de ajuda, preciso de uma mão que me tire dessa inconstante e interminável batalha, preciso voltar pra casa, rever a minha vida, aproveitar o que tenho agora, sem buscar mais nada, sem procurar novas vitorias, quero usar os prêmios que já ganhei, não quero mais medalhas em minha parede, nem insígnias  em meu paletó, quero me conformar com as que já tenho.
                Sentando estou, em meu quarto, olho em volta, penso sobre minha vida, sobre tudo que já fiz, sobre quem já magoei, sobre quem me magoou, lagrimas escorem em meu rosto, e não sei o porque delas estarem aqui, vejo e revejo, todas as batalhas que enfrentei, que lutei com garra, que desejei vencer, lutas que enfrentei pelo simples prazer de lutar, penso nos aliados que me ajudaram a vencer muitas dessa batalhas, e vejo que não os ajudei em suas próprias batalhas, sempre o foco de minha vida esteve em mim mesmo, sempre buscando ser cada dia melhor, porque não tirar simplesmente o meu melhor de cada uma dessa lutas, e finalmente acabar com tudo de uma vez? Com um só golpe, um único tiro, certeiro e final, era assim que tudo deveria acabar, mas esse não será o fim dessa guerra, estou no meio do fogo cruzado, sem arma alguma, sem disposição parar correr, sem animo de fugir, desejando ser atingido por qualquer inimigo, desejando ser derrotado, não por querer acabar comigo mesmo, mas pra finalmente sair desse ringue de sentimentos, de momentos passageiros, que sempre me levam ao mesmo campo de batalha, permaneço aqui sentado, apenas observando o fim de tudo, o fim de mim, ou o fim dessa batalha insana e sem sentido, desejo agora que tudo se acabe, bem ou mal para mim, mas esta na hora dessa guerra ter um fim, chega de dor, chega de não haver misericórdia, chega de correr pro meio do fogo, chega de me confundir, chega de buscas, chega de buscar qualquer coisa, estarei aqui ao fim de tudo, apenas esperando a minha volta para casa.

                To voltando pro meu recanto, La é bem melhor, não, não sei quem vai estar me esperando, eu nunca vou estar só.” - To aprendendo a viver sem você – Tico Santa Cruz

quinta-feira, 3 de março de 2011


Novos Caminhos.
Tudo esta muito recente, são sentimentos novos, novas esperanças, velhas decepções, novos caminhos a trilhar, novos momentos a viver, a vida é sempre o foliar de um belo livro, que pode nos levar a um final feliz, ou a morte do nosso personagem principal, mas eu não temo o desenvolver dessa historia, de minha historia, eu só busco vive-la, senti-la, compartilhá-la com quem deseja ouvi-la.
Cheguei a pensar que um dia eu diria – hoje eu já vivo tudo, todos os meus medos e meus sonhos, já conquistei, amei, sofri, chorei, ri de felicidade, cuspi na cara do medo, errei, acertei, fui feliz. Mas não, eu não quero chegar a pensar assim, não quero por um fim a minha historia, não quero um final feliz, nem quero uma grande derrota, apenas desejo que tudo isso nunca acabe, que a cada dia, uma nova pagina venha a ser escrita, novos caminhos sejam trilhados, novas conquistas, novas vitorias, novas derrotas, novos amores, novas decepções, desejo mais uma dose de vida, e depois tomarei outra e me embriagarei de meu viver, quero que tudo cresça e nada desapareça. Porque sonhar tão alto? Porque desejar viver sempre em busca de novas oportunidades de crescimento? Porque foi sonhando alto que sempre vive, foi buscando cada dia mais, que cheguei onde estou agora, que me tornei mais integro comigo mesmo, que aprendi a me conhecer, saber do que sou capaz, saber o que pode me abalar, o que poderá me derrubar, e o que vira para meu bem,  foi desejando novos caminhos, que consegui novas ambições, novas quedas, e foram nas quedas que aprendi a me reerguer, e não mais tropeçar naquela pedra, que aprendi a me superar, me coloquei no trono de meu reino, e depois andei sobre meus plebeus, conheci a lado do fracasso e depois retornei com meu premio em mãos, andei por todos os lados, conheci cada canto de minha vida, e cada beco sem saída, só me fazia retornar e entrar em novas ruas, e procurar novas saídas, buscar a minha felicidade, onde quer que ela estivesse,  caindo o que fosse preciso cair, levantando todas as vezes, com novos calos e novas feridas, mas continuei a caminhar, porque essa estrada nunca terá fim, mas nela tudo pode acontecer, todos os sentimentos irei viver ao atravessá-la, em todas as ruas e travessias que ela me mostrar, entrarei e conhecerei cada passo de meu chão, e quando o fim dessa estrada acabar, poderei dizer, que a conheci por inteira,  que tracei cada passo de seu chão, que conheci ou tentei conhecer, todos os novos caminhos, e tudo que ela poderia me oferecer. Sei que não terei tempo de viver tudo, mas viverei tudo que o tempo me oferecer.